por que o jiu-jitsu ajuda as mulheres?

Professora na ArtSuave Famalicão e esposa do professor José “Berto” Lima, Andreia João é uma das representantes femininas da ArtSuave. Tendo conquistado duas medalhas de ouro no último Nacional Português, a faixa-roxa, que iniciou na modalidade há dez anos, se prepara agora para o Campeonato Europeu, que acontece em fevereiro,  em Roma. Mesmo no meio da correria entre aulas, treinos e a família, Andreia separou um tempo para falar com o blog sobre a cena do Jiu-Jitsu feminino em Portugal.

Confira:

O que acha da evolução do Jiu-Jitsu feminino em Portugal?

Eu penso que a evolução em Portugal estava muito lenta, mas agora se começa a ver mais meninas nos campeonatos. Ainda somos poucas comparativamente a campeonatos no exterior, temos poucas meninas a competir, mas o número de atletas femininas a treinar está a aumentar sistematicamente.

Andreia e o professor Berto sempre presentes nas competições

Como entende que o Jiu-Jitsu pode ajudar mulheres, tendo em conta a defesa pessoal, confiança, autoestima e até mesmo como atividade física?

Em termos de saúde física e atividade física acredito que o jiu-jitsu é dos melhores para as mulheres em geral, podendo ser adaptada às necessidades, limitações físicas e idades  dos praticantes da modalidade. No meu caso particular, tem me ajudado a combater o problema crítico de hipotiroidismo. A prática de jiu-jitsu também me ajuda a lidar com ansiedade, a ter mais calma em momentos de grande estresse.

Por que iniciou no Jiu-Jitsu?

Tivemos um caso de assalto em casa em que os ladrões ainda estavam em casa quando cheguei, desde essa altura tinha ataques de ansiedade e pânico quando me encontrava sozinha em casa. Por sugestão do meu marido, fui a uma demonstração de jiu-jitsu brasileiro na Exponor, com o meu marido e outros praticantes da equipa ArtSuave, e fiquei fascinada com a modalidade. A partir dessa altura só parei por motivos de força maior, como ter ficado grávida, por exemplo!

O Jiu-Jitsu uniu mais ainda o casal e ajudou Andreia a melhorar em muitos sentidos

Diga três conselhos principais para as meninas que querem começar a fazer Jiu-Jitsu?

1 – Fazer uma aula experimental. Muitas vezes as meninas ficam intimidadas por encontrarem tatames maioritariamente preenchidos por homens, isso pode causar alguns complexos que são facilmente ultrapassáveis depois de experimentar uma aula e conhecer os princípios básicos e o ambiente saudável que se vive na maior parte das academias. 

2 – Deixar o orgulho fora do tatame. Muitos praticantes, masculinos ou femininos, não lidam bem com o facto de ”perderem” os rolas iniciais. No tatame não se ganha nem se perde, aprende-se, evolui-se. Todo o resto são questões de ego e quando é posto de parte conseguimos desfrutar muito mais do processo.

3 – Nunca dizer “Eu Não consigo!”. A partir do momento em que eu deixei de dizer essa frase, em voz alta ou a mim mesma, comecei a evoluir muito mais e a desfrutar muito mais dos treinos e posteriormente competições.

Fale da relação esposa, marido e Jiu-Jitsu.

Eu Acredito que foi a melhor coisa que nos aconteceu! Não há nada como partilhar o mesmo desporto, a mesma paixão e a mesma filosofia de vida. As conquistas que alcançámos transbordam de dentro do tatame para fora.

####################

Em breve voltamos com mais notícias da equipa, oss!